Buscar
  • Revista Siga

AAP-VR e Faaperj querem corrigir injustiça contra pensionistas


A Associação dos Aposentados e Pensionistas de Volta Redonda e a Federação das Associações dos Aposentados e Pensionistas do Estado do Rio de Janeiro se uniram para reivindicar do Congresso Nacional uma solução para centenas de milhares de pensionistas brasileiras, que, após a reforma da previdência e com a morte dos provedores da casa, estão empobrecendo bruscamente. Uma carta, contando o drama das pensionistas, foi encaminhada pelo diretor previdenciário da AAP-VR, Rômulo de Carvalho, e pela presidente da Faaperj, Yedda Gaspar, a todos os deputados e, mais especificamente, ao senador Paulo Paim.

Rômulo afirma que 70% das mortes por Covid 19 no Brasil são de idosos e que as pensionistas destes têm a renda mensal inicial da pensão calculada de acordo com o que foi aprovado na reforma da previdência, o que diminui drasticamente o poder de compra da família.


“Antes da reforma, aprovada pelo pior Congresso que este País já viu, as pensionistas passavam a ganhar o mesmo valor da aposentadoria do marido. Agora, ao invés de 100%, recebem somente 60%, como se todas as despesas da casa, como aluguel, alimentação, vestuário e medicamentos também tivessem os preços menores em 40% somente porque o principal provedor morreu”, explica o diretor da AAP-VR.


Carta ao senador Paulo Paim


Aliada da Associação de Volta Redonda nas reivindicações, a presidente da Faaperj, Yedda Gaspar, diz que as entidades não irão parar de lutar até que a grande injustiça cometida contra as pensionistas seja sanada.


“Nós encaminhamos carta para todos os deputados e em especial ao senador Paulo Paim, que é autor de alguns projetos que contemplam os aposentados e pensionistas. As mortes por Covid 19 de aposentados, aos milhares, estão deixando as viúvas na miséria e muitas, se não morrerem de Covid, vão adoecer e morrer do mesmo jeito, por falta de alimentação ou de medicamentos de uso contínuo. O corte de quase metade do valor das pensões, foi uma das coisas mais cruéis que um presidente da República propôs e o Congresso aprovou. Vamos continuar lutando e denunciando os parlamentares que são inimigos dos aposentados, pensionistas e idosos, para que não se reelejam no ano que vem”, conclui Yedda Gaspar.

0 comentário