Buscar
  • Revista Siga

Aplicação da segunda dose está sendo priorizada até a chegada de novas remessas de vacina em VR

Atendimento foi direcionada a quatro Unidades Básicas de Saúde da Família (UBSF) dos bairros Retiro II, Conforto, São Geraldo e Santo Agostinho, de 09h às 16h



A Prefeitura de Volta Redonda, através da Secretaria Municipal de Saúde, informou nesta quarta-feira, dia 17, que no momento a segunda dose da vacina contra a Covid-19 está sendo priorizada em idosos que iniciaram o processo de imunização antes de 21 de fevereiro. A aplicação da segunda dose foi direcionada para quatro Unidades Básicas de Saúde da Família (UBSF): Retiro II, Conforto, São Geraldo e Santo Agostinho. O horário de atendimento para a vacinação é das 09h às 16h.


Enquanto não recebem autorizações oficiais para compra de vacinas, os municípios são obrigados a seguir o cronograma de vacinação determinado pelo Ministério da Saúde. O cronograma de vacinação em Volta Redonda segue desta forma até que novas remessas de vacinas sejam entregues pelo Governo Federal.


Oficialmente, o município ainda não foi informado da quantidade de novos imunizantes que receberá, mas a previsão é que até o fim desta semana os estoques da primeira e segunda dose sejam repostos para dar prosseguimento à campanha de vacinação. O ritmo do processo de vacinação, no entanto, depende exclusivamente do número de doses que vão chegar.


O departamento de Vigilância em Saúde de Volta Redonda ressaltou que só é possível abrir uma nova etapa de vacinação para os idosos quando há a disponibilidade da primeira e segunda dose, para assim garantir o ciclo de imunização, seguindo o protocolo do Ministério da Saúde.


“Pensamos nesse cronograma de vacinação para a segunda dose para não promover aglomeração nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) sem ter vacinas em quantidade suficiente para o grupo definido a vacinar”, disse o coordenador da Vigilância em Saúde, médico sanitarista Carlos Vasconcellos.


Cuidados básicos


A Secretaria Municipal de Saúde aponta que independente da campanha de vacinação, a orientação é para que a população siga as regras de combate e controle do novo coronavírus. O uso correto de máscara – cobrindo o nariz e a boca– higienização das mãos com álcool 70% e evitar aglomerações estão entre as principais recomendações.

Prefeitura busca alternativas


A Prefeitura de Volta Redonda aderiu ao Consórcio Público Municipal para aquisição de vacinas contra a Covid-19 no último dia 2, que poderá permitir que estados e municípios comprem vacinas com recursos da União ou próprio, em caso de descumprimento do Plano Nacional de Imunização (PNI) ou de insuficiência de doses previstas.


O movimento, liderado pela Frente Nacional de Prefeitos (FNP), foi aprovado pelo Senado Federal e tem previsão de ser legalmente constituído até o dia 22 de março. O consórcio também está apto a adquirir insumos e equipamentos que sejam necessários para o enfrentamento da pandemia da Covid-19.


O prefeito Antonio Francisco Neto encaminhou a adesão do consórcio para apreciação da Câmara Municipal, sendo que a mensagem foi aprovada por unanimidade.

Além disso, o prefeito Neto assinou duas cartas de intenções para a compra das vacinas Covaxin, desenvolvida na Índia, e Sputnik V, da Rússia. Esse é o primeiro passo para a aquisição dos imunobiológicos, que estão sendo cotados pelo município para possível ampliação da campanha de imunização na cidade. Neto disse que está reunindo condições para a compra das vacinas. Com isso, a ideia é disponibilizar 200 mil doses para ampliar a imunização da população local.


As vacinas negociadas ainda aguardam liberação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para o uso emergencial, mas o município quer se adiantar no processo de aquisição. Tudo, no entanto, será feito de acordo com as regras sanitárias e com transparência no uso do dinheiro público.


Neto ressaltou que até a campanha ser ampliada e chegar a todos os moradores da cidade, é necessário cuidados redobrados para evitar a disseminação do vírus.

0 comentário