Buscar
  • Revista Siga

Força-tarefa coíbe funcionamento de atividades econômicas não essenciais em Volta Redonda

Cumprimento do decreto que restringe a oferta de serviços por sete dias no município será o foco nesta semana


Nesta semana, a força-tarefa, implantada pela Prefeitura de Volta Redonda para fiscalizar o funcionamento das atividades econômicas de acordo com as orientações de prevenção à Covid-19, foca suas ações no cumprimento do Decreto Municipal 16.215/20, que vigorará até o próximo domingo, dia 05. O documento suspendeu a flexibilização das atividades, retomando as regras do Decreto Municipal 16.082/20 que prevê o funcionamento apenas dos serviços essenciais.

Nos três primeiros dias da nova regra, a equipe formada pela Guarda Municipal, as secretarias de Fazenda e de Segurança Público, a Vigilância Sanitária, além das polícias Militar e Civil e Ministério Público, atenderam a cerca de cem denúncias recebidas pela Central Única de Atendimento (CAU), no telefone 156 e também pelo aplicativo FiscalizaVR. No período, foram executadas nove autuações e sete interdições. Outros estabelecimentos que estavam desobedecendo às restrições foram orientados de que, em caso de reincidência, seriam autuados e interditados.


A ronda da força-tarefa inclui ações nos bairros Água Limpa, Aterrado, Casa de Pedra, Conforto, Dom Bosco, Eucaliptal, Ilha Parque, Jardim Amália, Jardim Belvedere, Jardim Ponte Alta, Jardim Vila Rica, Monte Castelo, Retiro, Santo Agostinho, São Geraldo, São João, Sessenta, Três Poços, Vila Americana, Vila Brasília, Vila Mury, Vila Santa Cecília e Volta Grande.


O diretor do Departamento de Atividades Econômicas e Sociais da Secretaria Municipal de Fazenda, Wagner Jardim Chaves, informou que entre os serviços funcionando irregularmente estavam loja de roupas infantis, utilidades para o lar, conserto de eletrônicos, sapataria e gráficas rápidas. “Alguns estabelecimentos estão tentando burlar a fiscalização, colocando plástico preto nas janelas, deixando a porta um pouco aberta pra quando chegarem clientes. Estamos agindo com rigidez, orientando a fechar, mas caso haja reincidência serão multados e interditados”, disse, lembrando que, além de verificar se apenas os serviços essenciais estão funcionando, o grupo também segue observando o cumprimento das medidas sanitárias e de controle de aglomeração em todos os estabelecimentos comerciais.


ATENÇÃO – Até o domingo, dia 05 de julho, podem funcionar obedecendo as medidas sanitárias e de controle de aglomeração as atividades essenciais. Estão incluídos as agências bancárias, casas lotéricas, postos de combustíveis, oficinas mecânicas, borracharias, supermercados, hortifrúti, quitandas, peixarias, açougues, centros de distribuição de alimentos, padarias, farmácias e drogarias, clínicas, hospitais, lojas de produtos médico-hospitalares, clínicas veterinárias, lojas de produtos alimentícios para animais, distribuidores de gás e água mineral, indústrias, lojas de material de construção e similares.


As barracas de gêneros alimentícios da Feira Livre podem funcionar entre 6h a 14h, nos bairros incluídos na programação normal. E os bares e restaurantes podem atender com serviço de entrega em domicílio (delivery).

© 2014-2020 Todos os direitos reservados

Contato​:

Pauta: jornalismosiga@gmail.com

Comercial: sigamidia@gmail.com

  • Facebook ícone social
  • Instagram