Buscar
  • Revista Siga

Governo do Rio se reúne com representantes da Volkswagen Caminhões e Ônibus


Em dezembro, empresa anunciou o maior ciclo de investimentos de sua história no Rio de Janeiro, R$ 2 bilhões no período de 2021 a 2025, e contratação de 550 funcionários.




Em reunião com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico na terça-feira (26), representantes da Volkswagen Caminhões e Ônibus, que concentra as operações de desenvolvimento e produção no complexo fabril de Resende, no Sul Fluminense, garantiram a manutenção dos investimentos planejados pela empresa no estado. O encontro fez parte de uma série de conversas com montadoras de veículos instaladas no Rio de Janeiro.



- Vamos trabalhar para reforçar a base fornecedora de serviços da região em bases sustentáveis - afirmou o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Energia e Relações Internacionais, Leonardo Soares. - Durante a conversa, falamos na criação de um fórum que envolva o cluster da região para promover a cadeia produtiva local, com foco na indústria 4.0, aumento da competitividade e produtividade - acrescentou. No fim do ano passado, a Volkswagen Caminhões e Ônibus anunciou o maior ciclo de investimentos de sua história no Rio de Janeiro, R$ 2 bilhões no período de 2021 a 2025. Parte desses recursos será usada em novas tecnologias para a mobilidade sustentável, incluindo lançamentos de caminhões elétricos.

Ainda em dezembro, o grupo divulgou que o complexo fabril de Resende iniciou a contratação de 550 funcionários.

Desde 1996, quando iniciou a obra em Resende, foram investidos R$ 5,5 bilhões, incluindo construção da fábrica, criação do centro logístico em Resende e lançamento de novos produtos.

- De 1996 para cá, todo caminhão da Volkswagen que circula no mundo foi produzido em Resende. Continuamos acreditando no Brasil e no Rio de Janeiro. Não temos o menor arrependimento de termos montado a fábrica em Resende. Vamos continuar investindo no Rio de Janeiro - ressaltou o diretor de Relações Governamentais da Volkswagen Caminhões e Ônibus, Marco Saltini.

0 comentário