Buscar
  • Revista Siga

Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo promove reunião para integrar setor metalmecânico


Encontro contou com participação do secretário da SMDET, Sérgio Sodré, do presidente do Metalsul e representantes da UFF/VR


Com a missão de fortalecer as empresas e valorizar o comércio local, a Secretária Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo (SMDET) promoveu, na noite esta desta quarta-feira (6), uma reunião para integrar o setor metalmecânico e a área acadêmica da região. O encontro, ocorrido na prefeitura, contou com a mediação do secretário da pasta, o engenheiro Sérgio Sodré, e o subsecretário Fernando Lee; além de ter contado com as presenças do presidente do Metalsul (Sindicato que representa as indústrias metalúrgicas, mecânicas, automotivas, de informática e de material eletro-eletrônico do Médio Paraíba e Sul Fluminense), Jairo Rodrigues Junior, e a diretora da Escola de Engenharia Industrial Metalúrgica de Volta Redonda, Nadja Avila, representando a UFF (Universidade Federal Fluminense).



De acordo com Sodré, o objetivo deste primeiro contato foi discutir uma possível parceria entre a UFF/VR e o empresariado local, com intuito de explorar o potencial tecnológico e de inovação da universidade pública. “Nós temos duas situações para o empresário local: o problema que ele está tendo hoje e não sabe como resolver; e projetos que tem vontade de desenvolver para se tornar mais competitivo, aqueles que querem inovar. Então são duas frentes que a gente acredita que a universidade pode ajudar”, disse Sodré, destacando que o potencial intelectual e infraestrutura da UFF são pouco explorados.



Para a diretora da Escola de Engenharia Industrial Metalúrgica de Volta Redonda, Nadja Avila, a grande importância desta eventual parceria é o serviço prestado à sociedade.



“A partir do momento que a gente entra em um convênio que vai ajudar indústrias da região, nós estamos contribuindo com a sociedade como um todo, melhorando a forma de contratação, entre outros aspectos. As pessoas não sabem o que a UFF de Volta Redonda pode oferecer e o potencial da escola de Engenharia; não sabem quais os laboratórios que nós temos. A universidade pública ainda é um ambiente muito fechado”, avaliou.



Dificuldades do setor



Na opinião do presidente do Metalsul, as indústrias da região foram criadas muito voltadas à CSN (Companhia Siderúrgica Nacional), o que fez com que o mercado local se estagnasse, atendendo apenas o setor da siderurgia, esquecendo os outros.



“A parceria público-privada, principalmente com a participação do Poder Público, vai fazer com que as empresas locais possam qualificar seus gestores, a mão de obra e incentivar a inovação. Entendemos que a indústria não pode ficar estagnada, precisa se desenvolver. E se desenvolver sozinho, para o pequeno empresário, é praticamente impossível: pela falta de crédito, dinheiro e as dificuldades do empreendedor no Brasil”, relatou, completando: “Volta Redonda por ter poucas oportunidades, acaba exportando seu capital intelectual. Não conseguimos manter a expertise que é desenvolvida nas instituições de ensino dentro da indústria local. Este encontro tem exatamente esse objetivo: trazer as demandas do setor por intermédio do Poder Público chegar até as instituições de ensino e fazer com que o capital intelectual seja aplicado na indústria local; fazendo com que a gente ganhe competitividade, eficiência e redução do custo de produção”, frisou.



Rodrigues Junior revelou ainda que vai levar a disponibilidade da UFF à diretoria do Metalsul e seus associados, para que as empresas que tenham alguma demanda reprimida possam usufruir dos benefícios, tanto da unidade de Volta Redonda quanto da de Niterói, região Metropolitana do Rio de Janeiro.

0 comentário

© 2014-2020 Todos os direitos reservados

Contato​:

Pauta: jornalismosiga@gmail.com

Comercial: sigamidia@gmail.com

  • Facebook ícone social
  • Instagram