Buscar
  • Revista Siga

Volta Redonda interdita dez estabelecimentos com irregularidades no fim de semana

Cidade tem tolerância zero com descumprimento de medidas de combate ao coronavírus e aglomerações


Durante o fim de semana as equipes da força-tarefa de fiscalização de Volta Redonda percorreram diversos bairros da cidade, atendendo as 78 denúncias da população sobre irregularidades e descumprimento das medidas de combate ao coronavírus, estabelecidas através de decreto. O município tem tolerância zero com aglomerações e o desrespeito às normas pode acarretar de multa de cinco Ufivres (Unidade Fiscal de Volta Redonda), correspondente a R$ 945,55, até o fechamento do estabelecimento.

Durante as ações na sexta-feira, sábado e domingo, dias 15, 16 e 17, dez estabelecimentos foram interditados, sendo outros cinco autuados por violar as medidas. Outros 72 locais foram orientados pelos fiscais. Até o momento apenas um estabelecimento comercial teve seu alvará cassado, no bairro Jardim Amália II, por descolorir o decreto municipal. “Todas as irregularidades estão sendo fiscalizadas com total rigor pelas equipes de força-tarefa. É muito importante o controle dessas medidas para a flexibilização do comércio e para que o combate ao coronavírus seja eficaz. As medidas impactam diretamente a saúde da população de Volta Redonda e caso o comerciante não se adeque às normas, vamos cassar o alvará de funcionamento do estabelecimento", enfatizou o prefeito Samuca Silva. A fiscalização percorreu 35 pontos da cidade: Retiro, Centro/Amaral Peixoto, Vila Santa Cecília, Aterrado, São João, Niterói, Colina, Jardim Amália, Monte Castelo, Barreira Cravo, São Geraldo, Jardim Tiradentes, Jardim Amália I e II, Santo Agostinho, Vila Mury e Bela Vista, Água Limpa, Açude, Belo Horizonte, Conforto, Ilha Parque, Jardim Vila Rica, Ponte Alta, Roma I e II, Santa Cruz, São Lucas, São Luiz, São Sebastião, Sessenta, Siderlândia, Três Poços, Vale Verde, Vila Americana e Volta Grande II. A ação é integrada entre a prefeitura - através da Guarda Municipal, Secretaria de Fazenda (SMF), Secretaria Extraordinária de Segurança Pública (SESP) - e a Polícia Militar, Polícia Civil e Ministério Público. As denúncias são feitas pela população, por meio do telefone 156, a CAU (Central de Atendimento Única). O prefeito Samuca Silva destacou que os que estão em desacordo e não têm histórico de descumprimento da legislação municipal sempre são orientados sobre as medidas. “Com essas ações diárias já percebemos que os comerciantes estão se conscientizando e respeitando as medidas. Antes de qualquer ação mais rígida, as equipes estabelecem um diálogo com os comerciantes e dão orientações para que eles possam se adequar. Lembrando que a população também é responsável por ajudar neste combate à Covid-19. Caso vejam alguma irregularidade, entrem em contato com CAU. Estamos trabalhando para preservar vidas”, completou.

1/2

© 2014-2020 Todos os direitos reservados

Contato​:

Pauta: jornalismosiga@gmail.com

Comercial: sigamidia@gmail.com

  • Facebook ícone social
  • Instagram