Buscar
  • Revista Siga

Volta Redonda prepara terrenos para empresas e investe em inovação para gerar novos empregos


Enquanto ainda vive o processo de retomada econômica, após o período mais agudo da pandemia do novo coronavírus, Volta Redonda vai também preparando terreno para um futuro mais promissor na geração de empregos e renda. Para isso, a Prefeitura vem investindo pesado em três frentes: a construção de um condomínio industrial, o apoio ao setor de tecnologia e inovação, assim como na oferta de cursos profissionalizantes.


Assim que assumiu o governo, em janeiro de 2021, o prefeito Antonio Francisco Neto se ocupou de reforçar a estrutura municipal de saúde para, dentro do possível, normalizar as relações comerciais e econômicas do município. Sob qualquer ótica a atuação foi acertada, pois o número de leitos hospitalares próprios abertos cresceu juntamente com a volta dos empregos.


Dados divulgados pelo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério do Trabalho e Previdência, mostram que nos oito primeiros meses de 2022, o município teve mais admissões (20.784) que desligamentos (19.232). Foram 1.552 novas vagas de empregos geradas neste período do ano. No entanto, era preciso mais. Desta forma, o governo partiu em busca de soluções e opções para aumentar esse volume de postos de trabalho.


Condomínio Industrial: solução para problema histórico

Um dos maiores problemas da cidade, historicamente, é a falta de terrenos para a chegada de novas empresas. Neste sentido, a prefeitura montou uma verdadeira "operação de guerra" para encontrar e desapropriar um grande terreno no Complexo Roma. O local está recebendo obras de infraestrutura para que possa abrigar novas empresas interessadas em se instalar em Volta Redonda. Neto citou que em breve a cidade terá esse espaço com 50 mil metros quadrados e que deve hospedar cerca de 15 empresas. A previsão é que a obra seja finalizada em novembro.


“Estamos reconstruindo Volta Redonda. Neste espaço vamos poder abrigar novas empresas, bem como permitir a expansão daquelas que já estão aqui, gerando mais empregos e renda para a nossa cidade”, acrescentando:


“Também demos um grande passo para que Volta Redonda esteja na vanguarda da geração de empregos no setor de inovação e tecnologia, com a inauguração do 'Vírgula, Hub de Inovação VR', em parceria com diversas entidades e apoio principal da Faperj (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro)”, afirmou Neto.


Inovação: nova cultura

Neste mês foi inaugurado o primeiro espaço dedicado a criar um ecossistema que favoreça à inovação na cidade. É o “Vírgula, Hub de Inovação VR”, que funciona no Shopping Park Sul e oferece consultoria gratuita e especializada para empreendedores que desejam atuar em diversas áreas, ou que pretendem criar empresas inovadoras de tecnologia e sustentáveis, como as startups.


O local é uma parceria entre a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo (SMDET) e diversas instituições, entre universidades, escolas técnicas e empresas.


“O Hub de Inovação é mais um passo na criação de mão de obra qualificada e diversificação da matriz econômica de Volta Redonda. Uma das missões da secretaria é a de valorizar os talentos da cidade, estimulando o capital intelectual. Nós queremos estar na vanguarda da inovação no estado. Em breve, vamos ter duas incubadoras de empresas de inovação: uma na UFF (Universidade Federal Fluminense) Vila e outra na UFF Aterrado, além do Parque Tecnológico que será construído na área do UniFOA (Centro Universitário de Volta Redonda). São embriões para daqui a alguns anos termos um forte centro de inovação em Volta Redonda”, adiantou o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Sérgio Sodré.


O prefeito Antonio Francisco Neto afirmou ainda que o planejamento pode trazer bons frutos no curto prazo, mas também coloca Volta Redonda em situação privilegiada para o futuro.


“Não se trata de uma mudança de cultura, ao apostarmos na Inovação e na Tecnologia. Isso é apenas mais uma opção, para que a cidade tenha diversidade no leque de possibilidades de negócios. Teremos indústria mais forte, comércio mais forte, setor de serviços mais forte, mas vamos com tudo para o setor de Inovação”, disse.


Capacitação: investimento também nas pessoas

Um dos pontos que favorecem a geração de empregos em Volta Redonda são as capacitações oferecidas pela prefeitura, através das secretarias de Políticas para Mulheres e Direitos Humanos (SMDH), da Pessoa com Deficiência (SMPD), Ação Comunitária (Smac) e Fundação Beatriz Gama (FBG). Entre os cursos gratuitos estão construção civil para mulheres, cabeleireiro, barbeiro, depilação, informática básica, estética corporal, manicure, cuidador de idosos, elétrica predial e organização de eventos.

0 comentário