Buscar
  • Revista Siga

Volta Redonda ultrapassa 500 casos confirmados de coronavírus

Atividades econômicas iniciaram retorno gradual nesta segunda-feira



Volta Redonda chegou nesta segunda-feira, dia 4, a 507 casos confirmados de contaminação pela Covid-19, o Novo Coronavírus, na cidade. A informação foi passada pelo prefeito Samuca Silva em transmissão ao vivo pelas redes sociais. A cidade tem agora 1.343 casos notificados como suspeitos, sendo que 386 já foram descartados. Os casos de cura chegam a 289. E o número de óbitos se manteve em 15. Nesta segunda-feira, Volta Redonda reforçou o Cinturão de Segurança da cidade.

Através do decreto 16.147, ficou vedado o acesso de carros, motos, táxis e transporte por aplicativo, oriundos de outros municípios, a não ser que o passageiro comprove sua residência em Volta Redonda. Quem trabalha na cidade, irá usar serviços de saúde, entre outras atividades essenciais, também tem acesso permitido ao município. “Essa medida é temporária, mas necessária. As ações que estamos tendo são planejadas, blindando a cidade, garantindo que o grupo de risco fique longe do vírus e evitando que aconteçam aglomerações e circulações de muitas pessoas. Volta Redonda está fazendo sua parte para garantir, além do controle da pandemia, a capacidade de atendimento médico aos moradores da cidade na nossa rede municipal de saúde”, disse Samuca. O controle de acesso está sendo feito com barreiras físicas (com manilhas) em alguns acessos, e em outros pontos com agentes da Guarda Municipal, Polícia Militar e agentes da Secretaria de Segurança Pública. Um dos bloqueios implementados pela prefeitura está na Rodovia BR-393, para quem vem do Santo Agostinho e deseja acessar a Avenida Radial Leste. Também há outro ponto com fechamento de via no retorno, para quem segue no sentido oposto (Jardim Amália-Santo Agostinho). No bairro Água Limpa, há fechamento no acesso ao Túnel 20 e à Rua Rio Araguaia. Outro ponto de bloqueio é no acesso à Avenida Francisco Crisóstomos Tôrres, no bairro São Luís. No Santo Agostinho são dois pontos, no sentido Barra do Piraí-Volta Redonda. Com eixos dentro do limite, atividades econômicas iniciaram retorno gradual nesta segunda-feira, dia 4 Nesta segunda-feira, dia 4, atividades econômicas tiveram um retorno gradual, já que o os eixos de monitoramento ficaram dentro do estipulado pelas autoridades de saúde, Prefeitura de Volta Redonda e Ministério Público do Estado do Rio, com aval da Justiça Estadual. “Hoje iniciamos o retorno de atividades econômicas e estamos podendo acompanhar, junto com a força-tarefa de fiscalização, se as medidas estão sendo cumpridas. Lembro que é necessário evitar aglomeração, limitar o número de clientes dentro de estabelecimentos e a utilização de máscaras é obrigatório. Todos nós temos responsabilidade e, juntos, vamos vencer essa pandemia”, comentou Samuca Silva. Os seis eixos de monitoramento são: o número de casos suspeitos não poderá aumentar em 5% por dois dias seguidos (nesta segunda o aumento foi de cerca de 3%); A ocupação de leitos no CTI não ultrapassar 50% (nesta segunda está em 17%); A ocupação de leitos no Hospital de Campanha não ultrapassar 60% (está em 8%); O grupo de risco permanecer em isolamento social; Uso de máscara obrigatório nas ruas; Além de manter a proibição de qualquer tipo de aglomeração. A partir desta segunda, poderão ficar abertos: serviços de escritório, apoio administrativo e outros serviços prestados; atividades profissionais, cientificas e técnicas; atividades financeiras, de seguros e serviços relacionados; informação e comunicação; comércio e reparação de veículos automotores; alojamento; bares e restaurantes com 30% da capacidade. Já a partir de 11 de maio, devem ser liberados o comércio varejista; outras atividades e serviços; seleção e agenciamento e locação de mão de obra; atividades imobiliárias; além de agências de viagem, operadores turísticos e serviços de reservas. Os shoppings poderão ser reabertos em 18 de maio, com restrições. O descumprimento do decreto, das normas sanitárias ou de funcionamento, vai acarretar aplicação de penalidades previstas em lei. Entre elas, multa, interdição do estabelecimento, cassação de alvará, fechamento do estabelecimento, embargo, apreensão de bens, entre outras sanções.

© 2014-2020 Todos os direitos reservados

Contato​:

Pauta: jornalismosiga@gmail.com

Comercial: sigamidia@gmail.com

  • Facebook ícone social
  • Instagram